unnamed
fachada_oficial
top2
Faça seu Agendamento!


Quebrando paradigmas: Estrabismo e seu tratamento

 

Logo no início de sua infância, o estudante Allison Gonçalves, foi diagnosticado com um problema ocular que afeta milhares de pessoas no Brasil, o Estrabismo. Ao ser informada do diagnóstico, Marília Gonçalves (mãe do Allison), de imediato começou a procura por um tratamento, mas os esforços foram em vão, pois a cidade em que moravam não havia profissionais, e muito menos uma clínica especializada para esse tipo de tratamento.Alisson I

Na busca para amenizar o Estrabismo, o jovem conta que por orientações médicas começou a fazer diversos exercícios oculares.

“Fiquei fazendo exercícios durante três anos, o que resolveu parte do problema, mas não totalmente”. Diz Allison.

Ao se mudar para Campo Grande, a busca pelo tratamento continuou e foi aí que Marília ouviu falar do Instituto da Visão, aonde de imediato ela ligou e marcou a consulta para o filho. Ao chegar ao Instituto e acompanhado pela sua mãe, Allison foi examinado pela Dra. Priscila Fernandes, e realizou exames ao qual o menino nunca havia feito.

Já na segunda consulta, mãe e filho receberam da Dra. Priscila uma notícia que mudaria para sempre a vida de Allison. A médica afirmou que era possível a cirurgia corretiva para tratar o Estrabismo. Com o encaminhamento em mãos, a cirurgia de Allison foi realizada no dia 05 de outubro de 2015, pela própria Dra. Priscila que também é especialista em Estrabismo infantil.

Hoje recuperado e com a autoestima elevada, Allison conta que na infância não teve muita complicação por conta do Estrabismo, porém, era notório que seus olhos “corriam” para o lado, sendo o esquerdo com mais intensidade, principalmente durante o período da noite. Mas foi na adolescência que o problema agravou, nessa fase notou-se que o Estrabismo ficou mais persistente, que os olhos caiam para o lado de forma mais constante, começou a enxergar as coisas de forma duplicada, sentia fortes dores de cabeça, fatores que influenciavam no seu desempenho escolar.

Após a cirurgia, Allison relata que passou a se sentir uma pessoa mais   confiante, feliz e que não tem nada mais gratificante do que ver com perfeição coisas da nossa rotina, como assistir TV, ler, e até mesmo ajudar nas atividades acadêmicas.

Curado do Estrabismo e satisfeito com os resultados cirúrgicos, Allison finaliza:

“A cirurgia também me ensinou uma grande lição, a qual levarei para sempre: Não se pode ter medo de fazer aquilo que você tem certeza que vai mudar a sua vida, de buscar aquilo que você realmente quer”.

Al

 

 

 

Por Elizeu Ribeiro