unnamed
fachada_oficial
top2
Faça seu Agendamento!

Estrabismo Infantil: causas, sintomas e tratamentos

Estrabismo Infantil: causas, sintomas e tratamentos

O estrabismo é uma doença responsável por causar o desalinhamento dos olhos e a perda do paralelismo ocular. Essa doença pode acometer adultos e crianças.

Os sintomas do estrabismo na criança podem ser observados logo nos primeiros meses de vida. Por isso, é importante que os pais estejam atentos para os mínimos detalhes que possam indicar o problema.

Para falar sobre o assunto, o Instituto da Visão convidou a Dra. Priscila Fernandes Zaupa (especialista em Oftalmologia Pediátrica e Estrabismo Adulto e Infantil), para responder algumas perguntas referentes às causas, sintomas e tratamentos do Estrabismo Infantil.

Instituto da Visão: O que é o estrabismo?

Dra. Priscila: Estrabismo é o desalinhamento dos olhos.

É a perda do paralelismo ocular. Popularmente é conhecido como “olho torto” ou “vesgo”.

Instituto da Visão: Além de afetar adultos, o estrabismo também pode acometer crianças mais novas? Como os pais podem observar o problema e quais as providências a serem tomadas?

Dra. Priscila: Sim. Nesses casos, os pais podem perceber o problema constatando um desvio de um ou ambos os olhos em alguns momentos. Algumas crianças apresentam outros sintomas como: fechamento de um dos olhos, o ato de esfregar os olhos com as mãos, inclinações da cabeça para um dos lados, entre outros sintomas.

Crianças mais velhas podem ainda relatar: dificuldades para enxergar, dores de cabeça, desconforto em manter a leitura por períodos prolongados, entre outras queixas. Há crianças que possuem desvios oculares muito discretos ou muito esporádicos, não sendo identificados pelos pais ou familiares.

Nesses casos, o médico oftalmologista com experiência em estrabismo pode reconhecer essas situações e orientar o melhor tratamento para as crianças. Recomenda-se que todas as crianças realizem exame oftalmológico antes dos seis meses de idade.

Após completarem um ano de idade, as crianças devem ser avaliadas por médico oftalmologista anualmente. A criança nunca é considerada muito nova para ser avaliada pelo médico oftalmologista.

Instituto da Visão: Quais as causas que levam uma criança a adquirir o estrabismo?

Dra. Priscila: A maioria dos casos de estrabismo é resultante de uma anormalidade neuromuscular (incluindo o cérebro) no controle dos movimentos oculares.

Em alguns casos, o estrabismo resulta do acometimento direto dos músculos que movimentam os olhos.

Instituto da Visão: Quais os tipos de estrabismo existentes e quais desses são mais comuns em crianças?

Dra. Priscila: Há muitos tipos de estrabismo.

Comumente descrevemos o estrabismo pela direção do desvio dos olhos.

Assim, temos: exotropia (desvio dos olhos para fora), esotropia (desvio dos olhos para dentro), hipertropia e hipotropia (desvios verticais dos olhos).

Os estrabismos também podem ser denominados pela sua causa.

Os nervos cranianos que inervam os músculos oculares podem ser acometidos e causarem uma fraqueza ou paralisia dos músculos que realizam os movimentos oculares, a exemplo da paralisia de sexto nervo craniano.

Padrões específicos de estrabismos também podem ter denominações próprias como: Síndrome de Duane, Síndrome de Brown, etc.

Instituto da Visão: Muitos pais temem que o tratamento de estrabismo em crianças possa ser doloroso e demorado. A senhora poderia explicar esse tratamento?

Dra. Priscila: O tratamento do estrabismo não é doloroso. De maneira geral, quanto antes identificado o estrabismo e iniciado o seu tratamento, mais rápido e melhores serão os resultados.

Instituto da Visão: É possível fazer cirurgia para tratar o estrabismo em crianças? Qual a idade certa para tal procedimento?

Dra. Priscila: Sim, é possível fazer cirurgia de estrabismo em crianças, caso o tipo de estrabismo tenha indicação cirúrgica.

Importante ressaltar que nem toda criança com estrabismo necessita de cirurgia. Muitas delas se beneficiam dos efeitos do tratamento com óculos, oclusores oculares (tampões), aplicação de toxina botulínica e em alguns poucos casos exercícios oculares.

Cabe ao médico oftalmologista e à família a decisão do melhor momento para se realizar a cirurgia quando estiver indicada. Cada criança deve ser avaliada individualmente.

 

Por: Elizeu Ribeiro

2 respostas para “Estrabismo Infantil: causas, sintomas e tratamentos”

  1. Camila de Souza Alcantara disse:

    Interessante vocês abordarem sobre este assunto, pois muitos pais não conseguem perceber em seus filhos o problema do estrabismo.

    Parabéns pela matéria e pela médica que abordou este tema.

  2. Dra Priscila disse:

    Obrigada, sra Camila!
    Realmente este é um tema importante para a saúde das crianças.
    Atenciosamente,
    Dra Priscila Fernandes

Deixe uma resposta